10 Razãos Pelas Quais Vou Sentir Saudades de Lost

26May10

Chegou ao fim uns dos mais barulhentos programas de televisão. O show “Lost” foi ao ar em 2004 e teve 6 temporadas polêmicas, estranhas, frustrantes, emociantes, exageradas, incríveis, horríveis. Enfim, foi um programa que, até hoje, ninguém conseguiu descrever direito. Só sei que quem assistiu a primeira temporada inteira, provavelmente assistiu até o final. E quem assistiu até o final, provavelmente tá muito puto. Ao contrário do que andei sondando no Twitter, não achei o final ruim. Eu o achei conclusivo e isso era o mínimo que eu esperava do último episódio. Depois falarei melhor do que achei de Lost como um todo. Por enquanto, vamos às 10 Razões Pelas Quais Vou Sentir Saudades de Lost.

10. Foi um dos melhores elencos que já vi.

Sem brincadeira. Quem acompanhou as 6 temporadas do programa deve ter percebido o quanto os atores se entregaram aos seus personagens. Para ter uma idéia, é só ver que o ator que fazer o personagem de Sayid Jarrah, o torturador iraquiano, é o Naveen Andrews, britânico daqueles de encher o saco, abusado muito! Eu consegui me apaixonar por quase todos os personagens. Claro que tem aqueles personagens trash que eles tentaram colocar no meio de algumas temporadas pra movimentar as coisas, mas que não deram certo porque era enrolação demais, tipo Rodrigo Santoro. Eu tava apostando em quantos episódios ele iria durar.

Outra coisa, para quem gosta de seriados, pode comparar com o The 4400 (Wikipedia). Eu assisti as primeiras 2 temporadas e, embora tenha gostado do enredo, não consegui assistir o resto porque simplesmente nenhum personagem me convenceu. Eu já não aguentava os rostos sem expressão dos atores e acabei desistindo da série. O que foi inteligente, já que ela foi cancelada em 2007  sem um final conclusivo.

9. Um dos melhores roteiros da história da televisão.

Por ser “metida a escritora” não posso deixar de demonstrar o meu respeito pelos escritores de Lost. Eles conseguiram nos enrolar, nos confundir, nos enputecer durante 120 horas, ao longo de 6 anos consecutivos… E nós adorávamos. Por mais que eu não tivesse paciência de esperar toda semana por um episódio novo, eu ficava ansiosa pela saída dos DVDs de cada temporada só para garantir a paz da minha consciência com relação á temporada anterior.

A série foi, no mínimo, consistente. Embora eles não nos dêem respostas satisfatórias para absolutamente nada, o fator “mistério” é exatamente o que contribui para a sensação eterna de “querer mais“. Creio que isso chegue a ser mais importante do que ter resposta para todas as perguntas. Afinal, se eles nos respondessem todos os mistérios, sobre o quê conversaríamos com os amigos? Conversar sobre os mistérios de Lost foi uma das melhores perdas de tempo que já tive o prazer de experimentar! =)

E outra coisa, se um dia eu souber que Damon Lindelof e Carlton Cuse estão oferecendo ou promovendo algum curso de scriptwriting, eu vendo minha alma para viajar e participar.

8. Clube exclusivo Lost

Assistir Lost é como estar grávida. Você entra para um clube exclusivo que só quem pode participar e quem pode entender o que você fala e sente são as pessoas iguais a você. Ninguém se interessa ou entende quando uma grávida está falando dos enjôos, da azia, dos chutes do bebê, dos sentimentos. Do mesmo jeito, ninguém se interessa ou entende quando uma pessoa inicia uma conversa ou se intromete em outra dizendo “Ei, e aí, o que você acha que é realmente aquele black smoke monster?” ou ” Se realmente ‘Not Penny’s boat’, então de quem é o boat?” ou “Aquela Eloise Hawking é uma puta safada, não é?” ou ainda “E aí, será que Kate gosta de Jack ou de Sawyer, ou será que ela é lésbica e quer mesmo é pegar a Claire?”, a não ser que seja fã de carteirinha da série.

E outra coisa. Por experiência, eu posso dizer: fã de Lost não é POUCO CHATO, não. É o grupo mais chato e abusado que já tive o prazer de observar. O pessoal passa o tempo pesquisando e discutindo teorias da conspiração, tentando descobrir o porquê das coisas, brigando com os outros quando as teorias não batem. Fala sério. Acho o máximo discutir o programa com alguém, mas quando passa do nível de boa conversa para conflito de crenças religiosas pessoais, eu caio fora.

Mas, agora que o programa acabou, os grupos vão acabar se dissipando, as discussões vão diminuindo, vão desaparecendo os assuntos, até que um dia não haverá nenhum forum ativo sobre Lost na internet. (Meu Deus, eu não sou POUCO nerd não!!)

E outra coisa, quem não souber quem Damon Lindelof e Carlton Cuse são, não é realmente um Lostie.

7. Apelidos de Sawyer

Fala sério, existe coisa melhor do que os apelidos que Sawyer dava para o pessoal? Os “dudes” de Hurley chegam perto, mas não alcançam a fascinação que todo mundo tem pelo apelidos de Sawyer. De cabeça eu consigo lembrar de: Jiminy Cricket (Charlie), JumboTron (Hurley), Doc (Jack), Freckles (Kate), Blondie (Juliet) e Smokey (Locke ou o “monstro”).

Claro que eu fui pesquisar e encontrei uma lista com vários apelidos que Sawyer deu para vários personagens: a lista. Se não me engano, no site oficial do show tem uma seção lá que você coloca seu nome e ele dá um apelido provável que Sawyer teria dado pra você. Mas, eu nunca tive paciência para esperar o site inteiro carregar, ele é muito pesado. Fora que eu não sou tão abestalhada assim (ah-rannnn).

Com certeza, uma das coisas que mais vou sentir saudades é dos Jiminy Crickets e Blondies de Sawyer.

6. Viciada na produção e elenco

Certo. Como eu não tenho muito com quem conversar sobre televisão e tal (pra não dizer Lost, exclusivamente), eu perco meu tempo navegando na net procurando tudo o que possa encontrar sobre o programa. Ultimamente minha obsessão tem sido o YouTube. Nele, comecei a assistir entrevistas dos atores em vários programas de audiência. Agora, a minha nova obsessão é programas de audiência, ou talkshows. Os melhores que vi até agora são: Jimmy Kimmel, Ellen Degeneres e Jonathan Ross. Embora os três sejam muito engraçados e tenham ótimas entrevistas com os atores, o melhor é Jimmy Kimmel, pois ele é da ABC, a emissora de Lost, então ele tem uma abertura maior, além de ser mega-fã da série. Além disso, logo depois do último episódio, ele promoveu um programa especial para o final da série, Aloha To Lost. Embora aqui no Brasil não possamos assistir ao programa completo no site dele, ele disponibilizou o programa quase inteiro no YouTube, em seu canal Jimmy Kimmel Live .

Fora o Naveen Andrews, que faz o papel de Sayid Jarrah, que é extremamente chato e inglês, a maior parte dos atores do programa são interessantes, engraçados e gente boa (não sei como sei isso já que não sou amiga deles). O Josh Holloway, que fez Sawyer, por exemplo, é o palhaço do elenco. Ele não tem nada a ver com seu personagem, o que me fez ter grande respeito por ele. Os outros também me impressionaram bastante.

Também assisti muitos vídeos com os produtores, Damon Lindelof e Carlton Cuse e virei fã deles. Segue o motivo:

5. Flashbacks, flashforwards, flashsideways

O novo programa da ABC, Flashforward, vem com essa mesma estória de flashes dos personagens no futuro, mas não chega perto dos de Lost. Os flashbacks, eu acho, foram os responsáveis por grande parte do sucesso do programa, pois fazem com que o telespectador fique íntimo dos personagens. Tudo bem que essa idéia já é utilizada pelo Family Guy há anos e ninguém faz tão bem quanto eles, mas o Lost utilizou tudo de forma coerente e interessante.

Os flashsideways, para quem não sabe ou não é nerd como eu, foi um termo criado pelos já mencionados produtores para designar os flashes que acontecem na última temporada, que mostram uma realidade em que o Oceanic 815 não caiu na ilha. Só se descobre o que acontece no final desses flashsideways quem assistiu até o último episódio, portanto não posso falar mais nada sobre eles.

Pois é, quando é que um programa de TV vai poder utilizar flashbacks, flashforwards e flashsideways tudo junto novamente? NUNCA! Porque se o fizer, será imitação de LOST!

4. Curso intensivo gratuito de sobrevivência na selva

Eu sempre quis fazer um curso de sobrevivência na selva. Não daqueles tipo escoteiros. Nunca quis ser escoteira. Eca! É mais para aquele passeio que John Locke quer fazer na primeira temporada, no episódio “Walkabout”. MEU DEUS! Eu sei até os nomes dos episódios!!!! Não, não. É só desse mesmo.

Sempre quis aprender a fazer fogueira sem isqueiro ou fósforo, a encontrar água e comida no meio da floresta, a mecher com facas e outras armas. Quem assistiu Lost tinha, basicamente, um curso semanal durante um semestre por ano, gratuito para quem tem TV a cabo, de sobrevivência na selva. =)

Primeira regra de sobrevivência de Lost: se você for viajar e tiver que ser o vôo 815 da Oceanic e se, por acaso, John Locke estiver no mesmo vôo e se, por acaso, este avião cair numa ilha, não desgrude do Locke!! Ele é sua única forma de sobrevivência. =)

3. Hurley

Um dos meus personagens favoritos da série e, se brincar, de todas as séries que já assisti, é o Hurley. Não pelo ator (Jorge García, by the way), mas pelas coisas que acontecem com ele. Fala sério. O cara ganhou na loteria, tudo que comprava era destruído, passou 90 dias em uma ilha deserta e não ficou magro, nunca cortou os cabelos trash, teve uma única namorada que morreu antes do primeiro date, aff!!!! Fora que ele internou a si mesmo na clínica psiquiátrica inúmeras vezes.

Mas, a razão número pela qual eu amo Hurley é por causa do episódio em que eles estão no ano de 1977 e ele está anotando uma coisas num caderno e quando Miles pergunta o que ele está escrevendo ele diz que o George Lucas ainda não escreveu o terceiro (acho que é terceiro) episódio do Star Wars, então ele achou que sabia tudo de cór e ia escrever o roteiro e mandar pro George Lucas com as devidas alterações. KKKKKKKKKKKKK. Eu acho que nunca ri tanto na série inteira. Foi a coisa mais nada a ver que vi no programa. Tanto quanto os ursos polares.

2. Vincent

Quer coisa melhor do que o cachorro que não morre? Fala sério, o mundo quase se acabou naquela ilha, todo mundo se lascou e ele continua lá, abanando o rabo. Isso é que chamo de persistência. Fora que ele tinha algum significado especial no programa que, é claro, nunca vamos saber qual era, pois ele sempre parecia saber das coisas.

Na hora que é Desmond foi resgatado do poço eu tinha quase certeza que tinha sido Vincent. O Jimmy Kimmel dá uma boa teoria para o final do programa e tem a ver com Vincent. Saca só (só para quem já viu o final, contém spoilers):

1. Nunca haverá outro Lost

Simples assim.

Pois é. Essa foi a minha lista. Não está na ordem correta. Fiquei com preguiça. Quem quiser fazer sua própria lista, feel free de deixá-la nos comentários.

Atualização: esqueci de incluir na lista o “TUMM!” do final de cada episódio, logo após um cena intrigante!! Que saudades!!!!

Aloha!



5 Responses to “10 Razãos Pelas Quais Vou Sentir Saudades de Lost”

  1. 1 kika

    Vamos lá!

    * ANTES DE MAIS NADA, A QUEM FOR LER ESTE COMENTÁRIO E NÃO TIVER VISTO O ÚLTIMO EPISÓDIO… NÃO RECLAME SE INSISTIR EM LÊ-LO :pppp

    (puf puf puf… achei que EU gostasse de escrever, mas você me superou! ehheheheh! post comprido e lhesgal!)
    (²puf puf: nós sabemos que eu li tudinho pq tb sou daquele grupinho de lostmaníacos kkkkkkkkk!)

    vamos lá:

    10) “quem assistiu a primeira temporada inteira, provavelmente assistiu até o final” : – existem dois tipos de pessoas (só esses dois, acredite): as que dizem “ah, eu vi a primeira temporada e não tive mais paciência…” e as que viram todos os episódios e são iguais a nós 2. hehehehe!; não achei tão conclusivo assim o final, não por não ter sido bom, mas porque algumas lacunas não tiveram tanto assim o charminho de mistério e mereciam ser explicadas… ou mais expostas, para que ficasse mais claro. Como de repente Locke pode ser morto? Tudo bem, morto porque a ilha entrou em colapso e ele pode ter perdido o “mojo” junto com ela, mas aí do nada a fumaça some? e os outros dois (Desmond e Jack) que ‘caíram na luz’, por que não foram ‘esfumaçados’ também? Anyway… / concordo com os “atores” trash que passaram pela série, mas ainda assim a pior estoria possivel ali de algum personagem foi incrivelmente conectada de alguma maneira ao enredo maior… achei impecável!

    Novamente sobre Locke-enfumaçado: não me satisfazia a dúvida – se ele é tãããão poderoso em forma de fumaça, se precisava só de um corpitxo para encarnar, mas tinha tanto poder e era impossível matá-lo, por que ele também não era onisciente e onipresente, ou coisa do tipo? volta e meia alguém tapeava ele… :S

    8) adorei a comparação! kkkkkkkkkkkkkk… só um lostmaníaco (como as mães e grávidas) para saber da importância do assunto.

    6) eu tinha visto esses vídeos… você já viu o do componente misterioso? Kkkkkkkkk

    Sobre os atores… biiicho, eu morri, viu? A começar por aquele ‘irmão da galeguinha’, nossa! Se ele quiser me transformar em vampira hoje eu aceito! KKKKKKKKK! Jack, Sawyer, SAYYYYIIIIDDD… :~~~~
    5) foi um erro MUITO feio terem colocado uma série com o mesmo padrão de LOST (Flashforward) logo em seguida. A nova “característica” ainda está na mente dos telespectadores, não será nunca novidade (pois era uma das coisas que mais prendiam a atenção em lost, não é?) como foi. Será uma imitação mal feita. Jamais uma série terá o mesmo impacto, pelo menos até agora, hehehe.

    4) já o curso de sobrevivência eu não sei… acho que se prendiam tanto à idéia do enredo que se esqueciam de detalhes básicos, como: ninguém vai emagrecer não? (Hurley, hellooo—oooww??) Sawyer até engordou do começo pro final… Comofasss///?
    E os dentinhos sempre limpos, os cabelos bonitos, ah, sei lá, acho que minha reclamação com relação à “veracidade” do fato (perdidos numa ilha há meeeeses) nem é tão relevante assim, mas confunde. E o danado do cachorro? NUTRIDO, pêlo lindo, saudável… ta certo que aquele casal de velhos cuidou, mas NÃO É A MESMA COISA! Ai… kkkkk!
    Ninguém teve infecção urinária, nem teve problemas com menstruação, nem com gripes… tudo bem que a ilha tinha urso polar (pressupondo que era diferente de qualquer outra ilha), mas nenhum mosquito, nenhuma cobra, só javalis?

    1) NUNCA! :~~~~~~~~~~~~~
    Ah, caso você encontre… Certa vez li a respeito de uma certa semiótica na abertura de LOST, aquela palavra em branco e tal no fundo preto… se você encontrar, me mostra?

    Enfim, escrevi MUITO! Me entreguei logo… sou lostmaníaca (naaada) :p

    • 2 Lala

      Aff… Seis anos de sofrimento e nada de paz na nossa consciência… Eu nem tento mais entender o que acontecia naquela ilha… heheheheh O bom agora é só conversar sobre o que não foi respondido (quase tudooo)… O pior pra mim é Jacob! Eu pensei que ia ter um mega final a ver com ele e nada… Putz…

  2. 3 kika

    8) = 8 )

  3. 4 kika

    já ia me esquecendo:

    entre as miiiiiil coisas não tão bem explicadas ou enfatisadas assim, onde pararam os donos do cachorro? aquele moreno com o filho… por que eles não apareceram no final? simplesmente não desenvolveram mais a aparição do filho etc etc…

  4. É, eu também vou sentir falta de LOST e dos calorosos debates a respeito dele…

    “Conversar sobre os mistérios de Lost foi uma das melhores perdas de tempo q experimentei”


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: