Família Musical

17Nov09

Gosto é como nariz (para não dizer outra coisa), cada um tem o seu. Cada indivíduo nasce com um espírito diferente para música, cresce com influências diversas e, ao longo de sua vida, vai formando seu próprio gosto musical. Em certas famílias, o gosto é unânime; em outras, cada membro tem seu próprio estilo.

A razão pela qual decidi falar sobre isso hoje foi por causa de uma situação que aconteceu entre minha mãe e eu. Hoje ela estava empolgada, balançando a cabeça com os olhos fechado escutando música em um daqueles iPod Shuffle. Ela me viu passando por perto e me chamou, pedindo para eu colocar os headphones pra ver se eu sabia quem diabo era aquela cantora. Ela disse que fazia uma semana que estava escutando a tal cantora no iPod da minha irmã, mas não fazia a mínima idéia de quem era. Para minha surpresa, quando coloquei o headphone escutei -nada mais, nada menos-, do que Joni Mitchell cantando California.

Joni Mitchell é uma das minhas cantoras preferidas. É a mulher do sentimento. Vi uma vez, no filme “Love, Actually” uma personagem dizer assim: “Joni Mitchell taught your cold english wife how to feel” (trad.: Joni Mitchell ensinou a sua mulher inglesa fria como sentir). Obviamente a tradução não mostra a beleza da afirmação, mas dá para dar uma idéia.

Lá em casa todos gostamos de Joni Mitchell e de variados grandes artistas. Os escutamos juntos, cantamos juntos, tocamos no violão. Entre os nossos favoritos estão: Beatles, Paul McCartney, Queen, Bob Dylan, Chico Buarque, Tracy Chapman, Janis Joplin, Paul Simon, BB King, Eric Clapton, entre milhares de outros.

Obviamente, cada um tem suas particularidades. Eu também sou fã do metal, hardcore, rock pesadão mesmo. Minha irmã está passando por uma fase loooonga e, aparentemente, infinita de samba e Chico Buarque. Meu pai conhece quase tudo da  MPB e minha mãe não dispensa um forrozinho (já cheguei a pegá-la de surpresa dançando sozinha no escritório com a porta fechada).

As vezes acho incrível como você pode olhar para a sua família e dizer “Nossa, eu realmente pertenço a isso aqui”. Com tantas coisas legais parecidas e tantas coisas chatas diferentes. É um relacionamento do qual não podemos nunca fugir. Não há escapatória. E quem iria querer fugir de um lugar desse? Onde todos se conhecem intimamente, se respeitam (na maioria das vezes), se amam e conseguem ultrapassar todo e cada obstáculo. Afinal, em família não existe divórcio.

Daqui a alguns poucos meses estarei deixando a minha família para morar com meu noivo e minha nova barriguinha. A saudade já começou e já sinto os sintomas da abstinência familiar. Só rezo para que essa nova família que eu estou começando seja pelo menos um pouquinho parecida com a minha. Se for, tenho certeza que a felicidade estará sempre presente.



3 Responses to “Família Musical”

  1. 1 MClarinha

    So beautiful I almost cry…
    I feel almost the same way…

    Keep writing!!

  2. 2 Leonardo Mello

    vou nem dizer quem apresentou joni mitchell a você.

  3. 3 Dessa

    que lindo…


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: